Notícias - Ano 2016

Informações importantes sobre o câncer de mama

O câncer de mama é a segunda maior causa de morte das mulheres no Brasil e exige cuidados. A previsão do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é de quase 60 mil novos casos em 2016. A doença é formada por tumores malignos que surgem na glândula mamária, na maioria das vezes a partir dos ductos (canais que ligam a glândula ao mamilo) ou dos lóbulos (partes da mama que secretam o leite). As mulheres têm pelo menos 100 vezes mais chances de desenvolver câncer de mama do que os homens, principalmente após os 40 anos.

                                     

Prevenção

Um estudo realizado por pesquisadores membros da SBM revelou que o risco de contrair a doença aumenta consideravelmente em mulheres na pré e pós-menopausa que apresentam ganho de gordura corporal, especialmente na região abdominal. Desta forma, a SBM recomenda fortemente uma alimentação saudável com pouca ingestão de gordura e álcool, assim como incentiva a prática de atividades físicas. A mamografia e o autoexame também são essenciais, já que podem acusar um diagnóstico de doenças mamárias. A origem do câncer de mama é multifatorial e, por isso, não sabemos quem terá a doença durante a sua vida, portanto todas as mulheres devem fazer exames periódicos para possibilitar a detecção precoce do câncer de mama ou, melhor ainda, detectar lesões pré-cancerosas. A SBM recomenda a realização da mamografia uma vez por ano a partir dos 40 anos.

 

 

Sintomas

A mulher deve procurar ajuda de um mastologista em casos de caroço, vermelhidão, pele endurecida, áreas estufadas, feridas, coceiras, saída de líquido do bico do peito (sem apertar) de cor vermelha ou transparente como a água ou local endurecido.

 

 

Tratamento

O diagnóstico precoce é importante para o tratamento da doença, isto porque quanto menor o tamanho da doença menos agressivo será o tratamento e com mais chances de cura, podendo alcançar até 95%. Atualmente, mais de 30% dos tumores são descobertos já em estágio avançado, o que diminuem as chances da paciente na luta contra a doença. Por isso, é recomendado iniciar a mamografia a partir dos 40 anos, porém as mulheres que tenham casos de câncer de mama na família deverão realizar o exame uma vez por ano a partir dos 35 anos de idade. A avaliação do risco de câncer de mama familiar deve ser feita pelo mastologista. Vale ressaltar que um tumor leva, em média, 10 anos para alcançar 1 cm, porém a cada seis meses ele dobra de tamanho.

 

Reconstrução mamária

Até cinco anos atrás, toda mulher que precisava retirar a mama por conta do câncer de mama precisava aprender a viver sem uma ou as duas mamas. Poucas eram as pacientes que conseguiam colocar um implante no ato da cirurgia. Já o médico, era visto como o profissional que retirava o tumor, mas não reconstruía a mama imediatamente. A partir de 2012 esse cenário começou a mudar. O governo federal sancionou a Lei Nº 12.802/2013, que garante às mulheres mastectomizadas o direito de ter suas mamas reconstruídas no mesmo ato cirúrgico. A mutilação significa uma agressão física que dói na alma, afetando não só a estética e a sexualidade, mas, essencialmente, a autoestima. Por isso, a SBM entende que a reconstrução faz parte do tratamento.

 

 

Leis que amparam as pacientes

No Brasil existem leis, sancionadas pelo Governo Federal, que dão direitos às mulheres e é preciso que cada brasileira tenha conhecimento disso. São essas leis:

 

1 - Acesso à Mamografia a partir dos 40 anos

A Lei 11.664/08 garantia a toda mulher a partir dos 40 anos a realização anual do exame. No entanto, uma portaria, através do Ministério da Saúde, modificou a idade do acesso à mamografia de 40 para 50 anos em diante, além de limitar o exame para a mamografia unilateral, ou seja, somente em uma das mamas. Essa portaria alterou a lei de 2009 que dava direito a todas as mulheres e causou um mal estar generalizado. Diante disso, através de um projeto de Decreto de Lei, já aprovado em março de 2015, as entidades do setor, inclusive a SBM, conseguiram o apoio de deputados para voltar ao termo original da lei. O projeto, que agora está no Senado, ao ser sancionado, torna o acesso ao exame possível de novo a partir dos 40 anos de idade.

 

2 – Lei dos 60 dias

Sancionada há três anos, a lei nº 12.732/12 é ampla e contempla todo o paciente diagnosticado com câncer. No caso do câncer de mama, assim como os outros, a lei prevê que todo paciente diagnosticado com a doença inicie o tratamento no prazo máximo de 60 dias após o diagnóstico. Essa medida é determinante para a saúde do paciente.

No caso do câncer de mama, se diagnosticado precocemente e com o início do tratamento em tempo adequado, as chances de cura podem chegar a 95%.

 

3 – Reconstrução Imediata

A Lei 12.802, sancionada em 2013, garante as mulheres que se submetem à mastectomia (retirada de uma ou das duas mamas) o direito de ter suas mamas reconstruídas no mesmo ato cirúrgico. A exceção são aquelas cujo quadro clínico não oferece condições para isso, ou seja, caso o estado da paciente ofereça riscos à sua saúde, a reconstrução não será feita imediatamente. Caso contrário, a reconstrução mamária imediata é um direito de cada mulher e precisa ser respeitada.

 

 

O câncer de mama é a segunda maior causa de morte das mulheres no Brasil e exige cuidados. 

Contato

Endereço:
Praça Floriano, 55/801, Centro Rio de Janeiro, RJ - CEP: 20031-050
Telefone:
(21) 2220-7111
E-mail:
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

AVISO IMPORTANTE
O conteúdo deste site tem o intuito de apenas informar aqueles que têm dúvidas genéricas sobre o câncer de mama. Para a análise de um caso clínico particular, como tratamento, prognóstico e outras dúvidas deve ser consultado um médico especialista.